Sale!
,

Fake News e Angústia + O tempo do traumático + Memória corporal e transferência

Original price was: R$ 166,00.Current price is: R$ 106,00.

EM COMEMORAÇÃO AO MÊS DO ANIVERSÁRIO DO SÁNDOR FERENCZI A INM EDITORA APRESENTA UMA PROMOÇÃO ÚNICA.

Livro 1 – Fake News e Angústia em Tempos de Pandemia Em Fake news e angústia em tempos de pandemia o autor explora a produção de angústia (em escala “industrial”) em nossa sociedade, durante a pandemia de Covid-19, como efeito traumático direto da maior catástrofe sanitária mundial dos últimos 100 anos. Essa catástrofe foi agravada pelo desmentido negacionista e a anticiência do discurso fascista da extrema-direita que ascendeu ao poder nesta última década em diversos países, como Estados Unidos e Brasil. Neste cenário, o comportamento delirante e irresponsável do ex-presidente do Brasil, no período de 2019 a 2022, tornou a catástrofe traumática ainda mais grave e contribuiu para o agravamento da pandemia em nosso país. Trata-se de um desmentido que foi reforçado pela infodemia de desinformação e pelas fake news produzidas com o objetivo de negar a realidade da pandemia. Isto produziu uma realidade alternativa da extrema direita que defendia a negação de qualquer princípio científico que se contraponha às crenças arraigadas destes grupos. Combinando com esse cenário, pudemos observar a completa rejeição de qualquer Outro, que também seja, por qualquer razão, diferente ou não se enquadre dentro de seus modelos em um típico processo de narcisismo das pequenas diferenças. Neste livro, o autor Marcelo Bernstein recupera o que Freud apontava em seu trabalho sobre a psicologia das massas e sobre os mecanismos nos quais se apoiava o fascismo crescente na Europa pré-Segunda Guerra Mundial.

 

Autor: Marcelo Bernstein é Psicanalista e psicólogo clínico, mestre em Psicanálise pela Universidade Veiga de Almeida, com pós-graduação em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), especialização em Sexualidade Humana e membro da sociedade psicanalítica Formação Freudiana e do Grupo Brasileiro de Pesquisa Sandór Ferenczi, com experiência no atendimento a depressão, síndrome do pânico, transtorno bipolar, compulsões, quadros de transtorno e de psicose (esquizofrenia, paranoia, melancolia), além de disfunções sexuais masculinas e femininas. O autor também é jornalista formado pela Facha e professor universitário de Jornalismo, Publicidade e Design Digital; lecionou na Facha, na Universidade Estácio de Sá, na Universidade Gama Filho e no Centro universitário da Cidade.

 

Livro 2 – O Tempo do Traumático É quase lugar comum dizer o quanto o pensamento de Sándor Ferenczi é atual quando, há quase 100 anos atrás, já era considerado um psicanalista ‘original’. Não à toa, era chamado para dar conta dos ‘casos difíceis’, casos que se apresentavam como um desafio à psicanálise.  Felicia Knobloch, como Ferenczi, foi tocada pelo sofrimento de seus analisandos, o que a levou a acompanhar a trama teórica e clínica deste psicanalista, problematizando cada conceito, mas tendo presente, a todo momento, segundo suas próprias palavras, que “cada analista tem sua teoria e, quem sabe, uma teoria para cada analisando”. Esta tarefa teve como efeito, abrir “novas possibilidades da prática terapêutica”, seu interesse maior. A autora coloca em questão tal afirmação, assim como seus fundamentos metapsicológicos, numa obra que, por sua clareza e pela pertinência de suas interrogações, pela fineza na discriminação das minúcias, pelo rigor na apresentação e acompanhamento dos conceitos, pela força das imagens produzidas em sua escrita, será certamente muito enriquecedora para os leitores. Não estamos diante de um texto que pretende responder ao desafio que os ‘casos difíceis’ nos impõem. Afinal hoje já sabemos bastante sobre o que está para além do princípio do prazer. Felicia Knobloch nos lança em um universo no qual, mais que buscar entender seus casos difíceis, ela se rendeu ao sentir. E faz isso de um modo elegante, por mais árduo que o trabalho possa se mostrar. Esta forma de abordar a questão do traumático é de uma delicadeza ímpar: sem propor soluções, ela nos convida a pensar com afeto a nossa própria clínica, ao mesmo tempo que nos instiga com suas próprias indagações. Trata-se, neste sentido, de uma postura eminentemente ética. É isso que nos faz querer ler e reler O tempo do traumático. Porque sentir está para além do entender.

Autora: Felícia Knobloch – Psicanalista. Doutora em Psicologia Clinica pela PUC-SP. Pós Doutora Saude Coletiva pela UNICAMP.
Professora e supervisora do Curso de Psicologia da FACHS PUC-SP ( 1979-2016). Membro do Grupo Brasileiro de Pesquisa Sándor Ferenczi.

 

 

Livro 3 – Memória Corporal e Transferência – Fundamentos para uma psicanálise do sensível  A partir de inúmeras questões levantadas no tratamento de pacientes somatizantes, surgiu a necessidade de repensar a técnica analítica. A dificuldade de simbolização prejudicava por vezes a associação livre desses pacientes, causando impasses e impedimentos ao trabalho. As manifestações corporais se mostravam como índices evidentes para uma investigação sobre os conflitos, e era por meio delas (sintomas, gestos, posturas) que as associações podiam ser feitas, como acontece com o jogo, na análise infantil. A pesquisa ampliou-se pela constatação de que, também em outras organizações psíquicas, uma via sensorial é inerente à comunicação analista-analisando. Fez-se, então, necessário resgatar o corpo sensível do paciente, e interrogar sobre os dispositivos analíticos que consideram a extraordinária presença do corporal.

 

Autora: Ivanise Fontes é psicanalista, doutora em Psicanálise pela Universidade Paris 7 – Denis Diderot, com pós-doutorado no Laboratório de Psicopatologia Fundamental do Núcleo de Estudos Pós-graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. Autora de La Mémoire Corporelle e Le Transfert (Presses Universitaires du Septentrion, França,1999), A Memória Corporal e a Transferência (Via Lettera, Brasil, 2002), Psicanálise do Sensível – fundamentos e clínica (Ideias & Letras, 2010), coautora de Virando Gente – a história do nascimento psíquico (Ideias&Letras, 2014), A Descoberta de Si-Mesmo na visão de uma Psicanálise do sensível (Ideias & Letras, 2017), coordenadora da cartilha: Autismo – do que se trata (Autografia, 2018), produtora e codiretora do o curta-metragem “Cornélio Penna – nos benefícios da depressão” lançado em 2019.



EM COMEMORAÇÃO AO MÊS DO ANIVERSÁRIO DO SÁNDOR FERENCZI A INM EDITORA APRESENTA UMA PROMOÇÃO ÚNICA.

Livro 1 – Fake News e Angústia em Tempos de Pandemia Em Fake news e angústia em tempos de pandemia o autor explora a produção de angústia (em escala “industrial”) em nossa sociedade, durante a pandemia de Covid-19, como efeito traumático direto da maior catástrofe sanitária mundial dos últimos 100 anos. Essa catástrofe foi agravada pelo desmentido negacionista e a anticiência do discurso fascista da extrema-direita que ascendeu ao poder nesta última década em diversos países, como Estados Unidos e Brasil. Neste cenário, o comportamento delirante e irresponsável do ex-presidente do Brasil, no período de 2019 a 2022, tornou a catástrofe traumática ainda mais grave e contribuiu para o agravamento da pandemia em nosso país. Trata-se de um desmentido que foi reforçado pela infodemia de desinformação e pelas fake news produzidas com o objetivo de negar a realidade da pandemia. Isto produziu uma realidade alternativa da extrema direita que defendia a negação de qualquer princípio científico que se contraponha às crenças arraigadas destes grupos. Combinando com esse cenário, pudemos observar a completa rejeição de qualquer Outro, que também seja, por qualquer razão, diferente ou não se enquadre dentro de seus modelos em um típico processo de narcisismo das pequenas diferenças. Neste livro, o autor Marcelo Bernstein recupera o que Freud apontava em seu trabalho sobre a psicologia das massas e sobre os mecanismos nos quais se apoiava o fascismo crescente na Europa pré-Segunda Guerra Mundial.

 

Autor: Marcelo Bernstein é Psicanalista e psicólogo clínico, mestre em Psicanálise pela Universidade Veiga de Almeida, com pós-graduação em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), especialização em Sexualidade Humana e membro da sociedade psicanalítica Formação Freudiana e do Grupo Brasileiro de Pesquisa Sandór Ferenczi, com experiência no atendimento a depressão, síndrome do pânico, transtorno bipolar, compulsões, quadros de transtorno e de psicose (esquizofrenia, paranoia, melancolia), além de disfunções sexuais masculinas e femininas. O autor também é jornalista formado pela Facha e professor universitário de Jornalismo, Publicidade e Design Digital; lecionou na Facha, na Universidade Estácio de Sá, na Universidade Gama Filho e no Centro universitário da Cidade.

 

Livro 2 – O Tempo do Traumático É quase lugar comum dizer o quanto o pensamento de Sándor Ferenczi é atual quando, há quase 100 anos atrás, já era considerado um psicanalista ‘original’. Não à toa, era chamado para dar conta dos ‘casos difíceis’, casos que se apresentavam como um desafio à psicanálise.  Felicia Knobloch, como Ferenczi, foi tocada pelo sofrimento de seus analisandos, o que a levou a acompanhar a trama teórica e clínica deste psicanalista, problematizando cada conceito, mas tendo presente, a todo momento, segundo suas próprias palavras, que “cada analista tem sua teoria e, quem sabe, uma teoria para cada analisando”. Esta tarefa teve como efeito, abrir “novas possibilidades da prática terapêutica”, seu interesse maior. A autora coloca em questão tal afirmação, assim como seus fundamentos metapsicológicos, numa obra que, por sua clareza e pela pertinência de suas interrogações, pela fineza na discriminação das minúcias, pelo rigor na apresentação e acompanhamento dos conceitos, pela força das imagens produzidas em sua escrita, será certamente muito enriquecedora para os leitores. Não estamos diante de um texto que pretende responder ao desafio que os ‘casos difíceis’ nos impõem. Afinal hoje já sabemos bastante sobre o que está para além do princípio do prazer. Felicia Knobloch nos lança em um universo no qual, mais que buscar entender seus casos difíceis, ela se rendeu ao sentir. E faz isso de um modo elegante, por mais árduo que o trabalho possa se mostrar. Esta forma de abordar a questão do traumático é de uma delicadeza ímpar: sem propor soluções, ela nos convida a pensar com afeto a nossa própria clínica, ao mesmo tempo que nos instiga com suas próprias indagações. Trata-se, neste sentido, de uma postura eminentemente ética. É isso que nos faz querer ler e reler O tempo do traumático. Porque sentir está para além do entender.

Autora: Felícia Knobloch – Psicanalista. Doutora em Psicologia Clinica pela PUC-SP. Pós Doutora Saude Coletiva pela UNICAMP.
Professora e supervisora do Curso de Psicologia da FACHS PUC-SP ( 1979-2016). Membro do Grupo Brasileiro de Pesquisa Sándor Ferenczi.

 

 

Livro 3 – Memória Corporal e Transferência – Fundamentos para uma psicanálise do sensível  A partir de inúmeras questões levantadas no tratamento de pacientes somatizantes, surgiu a necessidade de repensar a técnica analítica. A dificuldade de simbolização prejudicava por vezes a associação livre desses pacientes, causando impasses e impedimentos ao trabalho. As manifestações corporais se mostravam como índices evidentes para uma investigação sobre os conflitos, e era por meio delas (sintomas, gestos, posturas) que as associações podiam ser feitas, como acontece com o jogo, na análise infantil. A pesquisa ampliou-se pela constatação de que, também em outras organizações psíquicas, uma via sensorial é inerente à comunicação analista-analisando. Fez-se, então, necessário resgatar o corpo sensível do paciente, e interrogar sobre os dispositivos analíticos que consideram a extraordinária presença do corporal.

 

Autora: Ivanise Fontes é psicanalista, doutora em Psicanálise pela Universidade Paris 7 – Denis Diderot, com pós-doutorado no Laboratório de Psicopatologia Fundamental do Núcleo de Estudos Pós-graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. Autora de La Mémoire Corporelle e Le Transfert (Presses Universitaires du Septentrion, França,1999), A Memória Corporal e a Transferência (Via Lettera, Brasil, 2002), Psicanálise do Sensível – fundamentos e clínica (Ideias & Letras, 2010), coautora de Virando Gente – a história do nascimento psíquico (Ideias&Letras, 2014), A Descoberta de Si-Mesmo na visão de uma Psicanálise do sensível (Ideias & Letras, 2017), coordenadora da cartilha: Autismo – do que se trata (Autografia, 2018), produtora e codiretora do o curta-metragem “Cornélio Penna – nos benefícios da depressão” lançado em 2019.

Peso 1 kg
Dimensões 22 × 15 × 4 cm
Autores:

Livro 1 – Marcelo Bernstein
Livro 2 – Felícia Knobloch
Livro 3 – IVANISE FONTES

ISBN

Livro 1 – 9786585823074
Livro 2 – 97865858230908
Livro 3 – 9786599545009

Número da Edição

Livro 1 – 1ª Edição – 2024
Livro 2 – 2ª Edição – 2022
Livro 3 – 2ª Edição – 2021

ACABAMENTO

Brochura

Número de Páginas

Livro 1 – 139
Livro 2 – 192
Livro 3 – 170

Idioma

Ambos os livros – Português

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.

Você também pode gostar de…

Rolar para cima